Em um cenário de instabilidade econômica, é comum aparecer o termo volatilidade nos noticiários e em conversas com quem investe no mercado de ações.

Considero isso absolutamente normal, porque há momentos em que o valor dos ativos está sujeito a mudanças bruscas.

Para quem investe na Bolsa de Valores ou está pretendendo ser um investidor no futuro, é bom compreender o que significa volatilidade.

Afinal, isso vai fazer uma grande diferença no seu desempenho e nas decisões que você vai tomar.

Com certeza, essa situação não está nos seus planos. Neste artigo, serão destacados alguns detalhes para você entender esse fenômeno e usá-lo a seu favor.

Dessa forma você poderá obter um bom desempenho nas suas aplicações. Confira!  

Aprenda o que esse conceito significa

De forma resumida, a volatilidade um parâmetro para constatar a variação de um ativo.

Em outras palavras, quanto mais volátil é um ativo, maior o risco de oscilações.

Por esse motivo, cuidado com ações muito voláteis.

Ações muito voláteis tem uma grande variedade de preço durante um período.

A volatilidade propicia um estudo da movimentação dos valores, o que contribui para estimativas sobre possíveis cenários da economia.

Por isso, é necessário avaliar como a volatilidade pode te ajudar na tomada de decisão sobre um investimento.

Para os que estão entrando no mercado financeiro, não é tão simples analisar o impacto da volatilidade nos investimentos.

Em geral, alguns investidores adotam a análise técnica para verificar se um ativo será volátil em curto ou médio prazo.

Você também pode usar a análise fundamentalista, mais indicada para os que desejam obter uma boa performance a longo prazo.

É muito importante mensurar as variações de valor de uma ação durante um período.

Isso porque facilita identificar uma tendência de acordo com as suas metas de investimento.

Para quem está entrando no mercado de ações, identificar o nível de volatilidade com precisão é uma tarefa quase impossível.

Por isso, é válido contar com a ajuda de especialistas, que conhecem a dinâmica dos papéis. 

Entenda a relação entre risco e volatilidade

Um passo relevante para ter um bom desempenho nos investimentos é compreender o significado do termo risco de investimento.

Ele consiste na possibilidade de você não atingir o resultado desejado.

Ou seja, ficar no prejuízo ou ter um rendimento abaixo das expectativas.

Para você entender isso melhor, vamos á um exemplo. Imagine que você vai sair de casa e ir para o supermercado a pé, mas o tempo está nublado.

Achando que não vai acontecer nada demais, você deixa o guarda-chuva na sua casa. Porém, o pior acontece: começa a chover forte. Assim, você enfrenta uma situação adversa que poderia ter evitado. 

Esse exemplo foi para você assimilar que o mercado de investimentos funciona de maneira bastante parecida.

Se investir o seu dinheiro em um ativo que se destaca pela volatilidade, saiba que há uma grande possibilidade de ter uma performance negativa.

Por outro lado, você pode ter ganhos muito significativos se compararmos com outras aplicações, como a poupança e o CDB.

Para isso, é essencial entender o mercado de ações ou ter o apoio de uma consultoria especializada.

Também é relevante ter uma carteira de investimentos diversificada com aplicações em renda variável ou em renda fixa. Esse procedimento é uma maneira de aumentar as possibilidades de ganho e minimizar as perdas.

Caso não esteja seguro para se arriscar no mercado de ações, mantenha a cautela e espere por um cenário mais favorável para conseguir bons rendimentos.

Veja o que é um mercado volátil

A partir do momento em que identificamos a volatilidade do mercado, é possível afirmar que há uma grande variação de preços dos ativos.

Nesse caso, uma ação não consegue ficar, durante muito tempo, em uma tendência de alta ou de baixa.

A volatilidade também oferece boas oportunidades para os que têm o perfil de risco maior. Por outro lado, esse cenário pode ser prejudicial para a maioria dos consumidores.

Em maio de 2018, houve a greve dos caminhoneiros que provocou grandes altas nos preços dos combustíveis e de alguns alimentos (frutas, verduras etc.) de maneira inesperada.

Analisar essa situação permite entender que acontecimentos imprevistos são responsáveis pela volatilidade. Com a globalização da economia, o investidor do mercado de ações precisa estar atento a tudo que acontece no Brasil e no exterior.

Caso você tenha dificuldade em identificar a volatilidade, procure um profissional.

Saiba o que é volatilidade de câmbio

É um assunto que deve ser analisado com muito cuidado.

Isso porque tem relação direta com a comercialização no mercado financeiro de moedas, como real, euro e dólar.

Nesse caso, é preciso acompanhar de perto as variações da taxa de câmbio para as aplicações serem feitas de maneira correta.

No Brasil, os veículos de comunicação de grande porte abordam diariamente a cotação do dólar em virtude da importância dela para a economia mundial.

A mudança de preços da moeda americana no Brasil para cima ou para baixo gera a volatilidade de câmbio.

Esse fator tem um grande impacto no mercado financeiro.

Um dos motivos é que possibilita viabilizar a assinatura de contratos futuros em moedas estrangeiras e atingir bons rendimentos.

Também é bom destacar que a cotação das moedas mais representativas na economia mundial tem uma grande influência em outros países e em indicadores, como a inflação.

Para quem pretende dar os primeiros passos na Bolsa de Valores, monitorar a cotação do dólar é uma medida inteligente.

Afinal, a moeda norte-americana é uma referência para o mercado brasileiro e pode ajudar investidores a atingir uma boa lucratividade.

Sem dúvida, é um rendimento muito bom se compararmos com algumas aplicações de renda fixa.

Esse exemplo mostra que um conhecimento sobre a volatilidade das moedas internacionais é um passo relevante para ter sucesso com os investimentos. Por isso, é essencial adquirir uma visão ampla das tendências do mercado interno e do externo. 

Aprenda a usar a volatilidade para atingir uma boa performance

Em geral, muitos investidores, em particular na Bolsa de Valores, exploram a volatilidade de um ativo para fazer compras e vendas em cenários que vão proporcionar ótimos rendimentos.

Veja um exemplo de como isso pode ocorrer na prática. Você comprou uma ação de uma empresa por R$ 60. Ao avaliar como ela é volátil, percebeu que, nos últimos 12 meses, o preço teve uma variação de R$50,00 a R$70,00.

Porém, o ativo está chegando, atualmente, a um preço maior do que a média, ficando na casa dos R$90,00.

Esse cenário mostra que você tem uma chance de vender a ação por um preço maior do que normal e atingir um lucro de R$30,00.

Convenhamos que é muito difícil ter um retorno de 50% em cima do valor investido. Mas isso é possível, caso você alie estudo com inteligência e sensibilidade.

Apostando nesses elementos, alguns investidores utilizam a volatilidade com maestria para conseguir vantagens consideráveis.

Um exemplo disso são os que apostam em Day Trade, operações de curto prazo que têm início e fim no mesmo dia. Isso acontece porque eles visualizam variações interessantes para fazer operações rápidas que vão ajudá-los a ter ganhos.

Outro exemplo são os que operam Opções (derivativos). É possível fazer diversas estratégias que permitam bons resultados, sejam eles ganhos de capital ou preservação de capital.

Volatilidade no mercado de Opções

No mercado de opções, o investidor deve entender alguns conceitos de volatilidade: a volatilidade histórica e a volatilidade implícita.

A primeira se refere a cotações passadas do ativo em questão, calculada com o desvio padrão da variação histórica do preço do ativo.

Já a volatilidade implícita representa a volatilidade histórica que o mercado está usando para determinada opção. A volatilidade implícita é representada em porcentagem e indica o desvio padrão de preço esperado.

Você pode elevar seus retornos usando o OpLab, nossa solução que permite que você simule diversas estratégias em tempo real! Inclusive a plataforma te mostra indicadores importantes de volatilidade como o IV Rank e o IV Percentil:

Volatilidade implícita

O IV Rank compara a volatilidade implícita atual de uma ação com sua faixa de volatilidade implícita (máxima e mínima) durante um certo período. A fórmula para se calcular o IV Rank é a seguinte:

Então, por exemplo vamos pegar uma ação cuja volatilidade implícita atual esteja em 20%.

Imagine que sua volatilidade implícita máxima do ano foi de 35%.

Imagine também que a mínima foi de 15%, temos o seguinte:

Ou seja, nesse caso o IV Rank é de 25%.
Quanto mais próximo de 0 mais a volatilidade atual está próxima da mínima da faixa do ano.

E quanto mais próximo de 100 mais a volatilidade atual está próxima da máxima da faixa do ano.

Falando agora do IV Percentil, essa métrica mede a porcentagem de dias no último ano (52 semanas) em que a volatilidade implícita da ação esteve abaixo da volatilidade implícita atual.

Por exemplo, se temos uma ação com uma volatilidade implícita atual de 40% e um IV Percentil de 70%, isso significa que a volatilidade implícita da ação esteve abaixo de 40% em 70% dos dias nas últimas 52 semanas.

Esse conhecimento é crucial para identificar oportunidades para aplicar o seu dinheiro com bom senso na hora certa.

Volatilidade do IBOV

Fique informado sobre a volatilidade do Tesouro Direto

O Tesouro Direto consiste em um título da dívida pública. Ou seja, você, ao adquirir esse ativo, está emprestando dinheiro para o Tesouro Nacional.

Esse investimento é uma excelente alternativa para pessoas físicas terem acesso a títulos do Governo. Porém, o Tesouro Direto não apresenta a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Mesmo assim, é um investimento muito seguro, porque o Tesouro Nacional dificilmente dá calote em que aplica nessa modalidade.

Mas tem algo que poucas pessoas sabem. O Tesouro Direto também apresenta variações que podem ser bem significativas.

Contudo, essa volatilidade não engloba uma rentabilidade negativa e influencia somente a cotação do ativo.

Para você entender isso melhor, será dado um exemplo. Vamos imaginar que o Tesouro Direito tenha relação direta com o IPCA.

Nesse caso, ele vai render com base na inflação e em uma taxa prefixada, que pode ser a Selic.

Se a taxa Selic estiver em um cenário de baixa, como tem acontecido no Brasil, o valor do papel, ou seja, do Tesouro Direto vai perder força no mercado.

Porém, essa situação não afeta os que apostaram nessa modalidade de investimento quando a Selic estava com um valor maior.

Em outras palavras, o investidor continua obtendo um retorno maior do que os ativos mais recentes.   

Para você entender isso melhor, será mencionado o exemplo do aluguel. Você tem um apartamento alugado em uma área nobre, mas que passou a ter casos de violência acima da média.

Isso provocou uma desvalorização no imóvel, mas não vai prejudicar o valor do contrato feito com o inquilino.

Dessa forma, o locatário vai pagar o valor aluguel de acordo com o que foi especificado no acordo, mesmo com a desvalorização imobiliária.

Compreenda como a volatilidade afeta os investidores

Com certeza, você já reparou que a volatilidade tem uma grande influência no sucesso ou no fracasso dos investidores.

Para os que estão dando os primeiros passos no mercado financeiro, é necessário manter o foco em compreender como esse fenômeno funciona.

Isso deve ser feito, inclusive, antes de fazer os primeiros investimentos em ativos. Afinal, não há como fugir da volatilidade.

Por outro lado, você pode usá-la para ter resultados acima da média e que superam bastante os investimentos mais conservadores.

Mas para isso se tornar viável é fundamental que você entenda como interpretar as oscilações.

Em outras palavras, o ideal é realmente assimilar como a volatilidade pode ser sinônimo de ganhos para você.

Logicamente, é necessário que você corra alguns riscos para ter resultados expressivos com ativos de renda variável.

Porém você precisa minimizar os seus riscos.

Para isso ser minimizado, você precisa adquirir muito conhecimento das oscilações do mercado financeiro.

Ou apostar nos serviços de consultores renomados.

Essa postura vai ajudá-lo a verificar o melhor momento para vender ou comprar ativos com sabedoria.

Volatilidade de preços

Diversifique seus investimentos

Os especialistas não recomendam que o dinheiro seja aplicado de forma integral nos ativos com alta volatilidade. Em outras palavras, apostar todas as fichas em uma única alternativa não vale a pena, independentemente, do risco envolvido. 

Também não é aconselhável investir todo o dinheiro somente em renda fixa. Embora haja o fator segurança envolvido, o rendimento apresenta uma performance consideravelmente inferior em relação às aplicações mais voláteis. 

Por isso, é indicado que você siga a prática de diversificar os investimentos.

Assim, você pode dividir o capital de acordo com as aplicações e as suas metas. No mercado, há um velho ditado que você, investidor, deve seguir: “nunca colocar todos os ovos na mesma cesta”.

É um conceito bastante simples de compreender, mas é necessário enfatizá-lo para mostrar que um investidor, mesmo iniciante, pode aproveitar os benefícios da volatilidade.

Para isso, você deve verificar os riscos envolvidos e as eventuais chances de perda.

Para os mais conservadores, os especialistas em mercado financeiro aconselham dar um maior foco na renda fixa.

Mas sem deixar de lado os ativos de renda variável. Essa tática aumenta as chances de potencializar os ganhos e, ao mesmo tempo, minimizar as perdas. 

Se você gostou deste post ou tem dúvidas sobre a influência da volatilidade no mercado de ações, deixe o seu comentário. A sua contribuição pode ajudar outros investidores!

Artigos relacionados

Acompanhe o blog do OpLab e confira tudo sobre mercado de opções, investimentos e finanças pessoais.