Em um cenário de instabilidade econômica, cidadãos e empresas precisam fazer algo muito muito importante para superar as dificuldades: contar com o planejamento financeiro. Porém, por que isso é imprescindível atualmente?

Bem, a resposta é que acontecimentos políticos, econômicos e sociais estão alcançando um nível de imprevisibilidade cada vez maior. Isso obriga a adotar bom senso, cautela e inteligência para não fazer investimentos equivocados que podem jogar fora anos de trabalho sério.

Portanto, para ajudá-lo a administrar as finanças com maestria, serão apontadas ações que vão colaborar para uma gestão perfeita do seu dinheiro. Confira! 

Entenda a finalidade do planejamento financeiro

Embora, muitas vezes, as pessoas tomem decisões com base na emoção, é preciso que o nosso lado racional esteja presente para evitar equívocos. Nessa hora, o planejamento financeiro deve aparecer para os nossos pés não saírem do chão. 

Assim, evitamos fazer investimentos que vão desequilibrar o orçamento. Independentemente do cenário, dar um salto maior do que perna está longe de ser uma atitude louvável. 

Por isso, a gestão das finanças tem como prioridade guiar os nossas atividades durante um período (mês, trimestre, semestre, ano etc.). Para você entender melhor o assunto, será dado um exemplo simples.

Exemplo prático:

Um estudante tem como meta fazer um curso de pós-graduação daqui a um ano. Nesse caso, precisa ter uma reserva financeira para pagar boa parte da capacitação à vista e o restante em parcelas mensais fixas, que cabem no orçamento.

Portanto, para atingir esse objetivo, o ideal é analisar quais são as despesas mensais e verificar quais delas é posso reduzir de forma considerável. Esse procedimento, sem dúvida, contribui para juntar dinheiro e concretizar objetivos.

Essa iniciativa se torna possível porque foi realizado um planejamento financeiro, que  permite administrar melhor os gastos e acumular recursos financeiros com mais facilidade. É uma tarefa que exige bastante disciplina e foco em resultados. 

Para os que têm uma educação financeira consolidada, torna-se mais simples colocar em prática um conjunto de atividades voltadas para cortar os gastos desnecessários. Porém, é importante reservar momentos da sua vida para o lazer (ir ao cinema, ao teatro e ao restaurante, por exemplo).

Você pode fazer isso de maneira mais inteligente, reservando parte do seu dinheiro para esses momentos de alegria, sem prejudicar as suas metas para o futuro. Essa conduta é indispensável para atingir os objetivos de forma plena. 

Se você tem dificuldades em formular um planejamento financeiro, é bom ler este artigo até o final e buscar a ajuda de uma consultoria especializada. São duas ações que vão ajudá-lo no futuro. 

Planejamento financeiro

Aprenda a elaborar o seu planejamento financeiro pessoal

Um erro comum é as pessoas avaliarem que o planejamento financeiro é algo estático, que não pode estar sujeito a mudanças. 

Essa postura se trata de um erro que deve ser evitado ao máximo. Mesmo que você já tenha um objetivo fixado, é perfeitamente viável adotar outras ações voltadas à economia de despesas.

Por exemplo, você está pagando um empréstimo bancário para finalizar a compra de um automóvel e percebe que as parcelas estão comprometendo a sua capacidade de quitar outras contas (condomínio, luz, internet etc.).

Nesse caso, é interessante negociar com o banco um prazo maior para finalizar o empréstimo, aumentando o número de meses para pagá-lo.

Faça sua lista:

Primeiramente, esse caso mostra que é preciso ter flexibilidade para montar o planejamento financeiro, que pode ser feito seguindo alguns passos:

. Listar as despesas obrigatórias (conta de energia, plano de saúde etc.);

. Verificar os gastos desnecessários (shows, cinema, entre outros);

. Avaliar itens que podem ser reduzidos (despesas com combustíveis, alimentação etc.).

. Analisar como está o cumprimento das metas com relação aos gastos;

. Avaliar mudanças no planejamento para obter resultados mais expressivos. 

É, com certeza, uma iniciativa que requer muita disciplina e bom senso. Procure sempre ter o domínio da situação e procure agir com prudência na hora das compras. 

Não é necessário abrir mão dos momentos de lazer, mas é preciso ter cuidado para não exagerar nos gastos com algo que pode ser evitado. 

Compreenda a importância do planejamento financeiro

Para enfrentar melhor situações adversas, é crucial que tenha economias para amenizar o impacto dos problemas nas finanças. Imagine que você é proprietário de uma lanchonete, mas as vendas caíram bastante em virtude da queda do comércio na cidade.

Ou seja, os clientes estão economizando para pagar as contas obrigatórias. Caso tenha uma boa reserva financeira, é possível negociar com os seus fornecedores e fazer promoções, o que pode reaquecer o movimento. 

Se isso não for possível, outra saída é reduzir gastos com itens de consumo e até com funcionários. Para cumprir com as obrigações, é essencial ter um planejamento financeiro e acompanhar como estão as entradas e saídas do caixa. 

Assim, você pode avaliar a melhor decisão para o seu negócio e evitar a falência. Para você entender isso melhor, será dado mais um exemplo. Dessa vez, será mencionada a situação de um trabalhador assalariado.

Um servidor público recebe R$5 mil líquidos por mês. Em janeiro, ele tem despesas com o material escolar do filho de 7 anos. Nesse caso, é importante que, anteriormente, haja uma reserva para quitar essa despesa.

Do contrário, há o risco de o servidor entrar no cheque especial, o que pode comprometer bastante as finanças da família.

Obviamente, não é proibido entrar nessa modalidade de empréstimo, mas o ideal é usá-la somente em casos emergenciais. 

Com uma visão de médio e longo prazo sobre as despesas, é possível se preparar para situações em que a renda mensal pode não ser suficiente para cobrir todos os gastos.

Por isso, o planejamento financeiro é muito importante para pessoas físicas e jurídicas terem mais facilidade de gerenciar as despesas e aplicar os recursos financeiros com eficiência.   

Planejamento financeiro

Veja como não errar ao montar o planejamento financeiro

Até agora, foram apresentados alguns exemplos simples de como é possível organizar as finanças. Também foi abordado como o cuidado com as contas é importante para a sua qualidade de vida.

Para você estar mais seguro, será exposto, com bastante clareza, como montar um plano ideal. Acompanhe os passos necessários:

. Estabelecer quais são os seus objetivos financeiros (evitar dívidas, viajar para o exterior com a família, ter mais dinheiro para aplicações no mercado financeiro, entre outros);

. Organizar as despesas pessoais (celular, plano de saúde, supermercado, condomínio etc.);

. Inserir esses gastos em uma tabela de Excel ou utilizar um aplicativo para monitorá-las com mais facilidade;

. Comparar as despesas realizadas com as metas e performance dos meses anteriores;

. Avaliar o que pode ser cortado (gasto com combustível, shopping, investimento em equipamentos eletrônicos, entre outros itens);

. Fazer uma revisão periódica do planejamento financeiro com base nos resultados e nas metas estabelecidas.

Conforme foi mencionado anteriormente, o planejamento não pode ser algo estático. É preciso ter flexibilidade para organizá-lo e gerenciá-lo.

Você pode usar o planejamento financeiro como um guia, mas não pode cometer o erro de achar que ele é imutável.

Por exemplo, você tem como meta comprar um carro de R$100 mil e está se esforçando bastante para isso.

Por outro lado, é preciso ter sensibilidade para essa situação não prejudicar a sua família. É importante ter um carro bom, mas isso não pode ser mais relevante do que cuidar da saúde dos filhos.

É melhor manter um plano de saúde para as crianças do que usar o dinheiro para adquirir o veículo. O bom senso deve sempre prevalecer.  

Educação financeira

Mesmo que você não tenha sido educado em termos acadêmicos e familiares para administrar o seu dinheiro, vale a pena procurar informações relativas à educação financeira. 

É um passo importante para aprender a administrar os gastos e a planejar as finanças dentro das melhores práticas.

Sem dúvida, é muito bom juntar dinheiro, porque é sinal de que está controlando as despesas com seriedade e fazendo a lição da casa.

Por outro lado, não é apenas a gestão de gastos que deve fazer parte da sua educação financeira, já pensou nisso antes?

Entendendo contabilidade:

Um ponto importantíssimo é entender a diferença entre ativos e passivos. Como Robert Kiyosaki explica em seu livro “Pai Rico Pai Pobre”, ativos são coisas que colocam dinheiro no seu bolso. Já passivos são coisas que tiram dinheiro do seu bolso.

E é aqui que as coisas ficam interessantes: as pessoas tendem a confundir bens com ativos. Mas um bem não é necessariamente um ativo. Por exemplo, um carro é um bem, porém ele é um passivo, visto que só gera gastos (manutenção, combustível, depreciação, etc.).

Tradicionalmente a casa é considerada um ativo, porém se você vive nela, tem despesas, e portanto ela se torna um passivo. Então o que seriam ativos? Os mais conhecidos são Ações, entre outros instrumentos que tem o poder de gerar renda e se valorizar ao longo do tempo.

E aqui vem o pulo do gato: vamos voltar ao exemplo da casa e do carro? Tradicionalmente, como falamos, carro e casa são passivos. Mas e se você alugasse essa casa para alguém durante uma temporada? E se você alugasse seu carro para um amigo que quer viajar e não tem meio de transporte

Bem, você acabou de transformar passivos em ativos. Segundo Robert Kiyosaki, temos o poder de mudar a natureza das coisas simplesmente mudando a direção do fluxo de caixa.

Lembra que falamos que ativos colocam dinheiro no seu bolso e passivos tiram dinheiro do seu bolso? Bem, se você colocou sua casa para aluguel, o fluxo de caixa se inverteu e está entrando no seu bolso, e não mais saindo.

Se você agora alugou seu carro para seu amigo, o fluxo de caixa também parou de sair do seu bolso, e agora está entrando no seu bolso.

como fazer um planejamento financeiro

Formas de investir:

Também é fundamental pensar em formas inteligentes de aplicar o seu dinheiro. Ou seja, fazer com que ele tenha bons rendimentos. 

Ficar com o dinheiro parado na conta corrente não vai te levar a lugar nenhum. Procure aplicações que tenham uma performance superior à inflação. Pesquise, estude, ou fale com um profissional para te ajudar a encontrar o melhor investimento para você, de acordo com o seu perfil.

Contudo, é interessante reservar uma parte do seu dinheiro para investir no mercado de ações. Para ter mais chances de sucesso, é indicado buscar o apoio de consultores especializados.

Eles vão te mostrar o caminho das pedras e fazer com que o seu dinheiro tenha um rendimento acima da média.

Nada te impede de apostar nas ações por conta própria, mas você vai correr um sério risco.

Já pensou perder economias que você levou meses e até anos para juntar em questão de horas?

Com certeza, é uma situação que você não merece enfrentar, concorda? Por isso, o planejamento financeiro envolve também a necessidade de escolher as melhores alternativas para aplicar o seu dinheiro. 

Planejamento financeiro

Filhos

Primeiramente, procure mostrar para os seus filhos como é positivo administrar o dinheiro com prudência e bom senso.

É possível, por exemplo, fixar um valor máximo para a criança gastar ao longo da semana. Essa iniciativa é uma maneira de fazer com que os filhos tenham mais disciplina para evitar gastos desnecessários.

Indicar para uma criança a necessidade de administrar as finanças com responsabilidade é uma atitude louvável e que vai contribuir para os seus filhos terem mais condições de montar um bom planejamento financeiro.

Os pais devem servir de exemplo para os filhos. Por isso, é muito importante mostrar para as crianças como deve ser feita a gestão dos gastos e evitar despesas desnecessárias.

Aliás, expor a situação financeira de forma clara para as crianças é uma medida louvável, desde que elas já tenham maturidade suficiente para entender a importância de controlar os gastos com inteligência.

Além disso, é essencial indicar para as crianças que a administração das finanças tem um peso importante no dia a dia família. Também é positivo explicar que despesas com lazer não precisam ser cortadas por completo. 

Independência financeira

Conseguir um bom emprego e montar uma empresa lucrativa, inegavelmente, são ações que vão ajudá-lo a ter uma boa renda e tranquilidade no futuro.

Porém, esses fatores são apenas uma parte da jornada para conseguir a tão sonhada independência financeira

Afinal, é importante fazer que o seu dinheiro tenha um ótimo rendimento, com uma performance acima da inflação, de preferência.

Para isso,o seu planejamento financeiro deve ter como meta o acúmulo de recursos financeiros para diversificar os investimentos. 

Você pode ter bons resultados com aplicações de renda fixa e variável de maneira simultânea, já pensou nisso antes?

Se isso ainda não fazia parte das suas metas, saiba que o planejamento financeiro pode ser o primeiro passo rumo à independência financeira, sem ter que ganhar na Mega Sena ou uma herança milionária.

Assim, você vai ter uma finalidade para guardar e aplicar dinheiro, o que vai ajudá-lo a conseguir mais qualidade de vida no futuro.

Quanto mais cedo tiver uma mentalidade para aplicar as suas finanças com inteligência na Bolsa de Valores, maiores são as chances de viver de renda.

Contudo, isso não impede uma pessoa com mais de 40 anos, por exemplo, usar o planejamento financeiro para ter mais tranquilidade ao administrar o dinheiro.

Se você quer ter mais condições de aproveitar os bons momentos da vida, analise a possibilidade de investir em uma previdência privada.

Esse investimento é uma forma de você ficar menos dependente da aposentadoria do INSS ou do serviço público. Também é uma alternativa para usar em casos de emergência.

Por exemplo, um familiar está doente e precisa de um tratamento caro. O dinheiro da previdência privada é uma opção para você não ficar endividado e ajudar o seu parente.

Planejamento financeiro para Liberdade financeira

Obrigação

Por causa das oscilações na economia, é inegável que um bom planejamento financeiro passou de um luxo para um obrigação.

Além disso, é importante que o seu portfólio esteja bem construído e diversificado, de tal forma que você esteja preparado para atravessar as grandes crises que podem surgir ao longo do tempo. O importante é sempre estar preparado para o que ainda não aconteceu. 

Portanto, é importante pensar no conforto a longo prazo e, no fato, de que você merece ter menos estresse ligados a finanças, principalmente na famosa terceira idade.

Conclusão

Primeiramente, recomendo que o seu planejamento financeiro tenha uma boas práticas para juntar e ganhar dinheiro, como o investimento na Bolsa de Valores.

Uma forma de proteger seu patrimônio em momentos de incertezas é aprender a operar Opções.

De fato, com as Opções você consegue por exemplo fazer um seguro de carteira para se proteger quando ocorre uma queda de mercado.

No OpLab, você encontra as melhores estratégias para lucrar e se proteger. Visite nossa plataforma.

Se você gostou deste artigo, faça agora mesmo o compartilhamento nas redes sociais. Com certeza, o conhecimento é peça-chave para bons investimentos!

Artigos relacionados

Acompanhe o blog do OpLab e confira tudo sobre mercado de opções, investimentos e finanças pessoais.