Se você se interessa por análise fundamentalista é bem provável que já tenha ouvido alguém falar do indicador EBITDA.

Mas afinal, o que é EBITDA? Como calcular esse indicador? Como interpretá-lo?

É disso que vamos falar hoje, então pegue uma caneta, anote tudo e boa leitura.

EBITDA

EBITDA vem do inglês, Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization.

Ou seja, a tradução seria Lucros antes dos juros, impostos, depreciação e amortização.

Em algumas demonstrações financeiras aqui no Brasil você verá a sigla como LAJIDA.

O EBITDA, ou LAJIDA, é uma métrica que avalia a performance financeira geral de uma empresa.

De forma simples, quero que você entenda o EBITDA como uma medida de rentabilidade.

Ou seja, é comum olharmos essa medida como uma alternativa para o lucro líquido.

o que é Ebitda

Mas no caso, o EBITDA seria o lucro operacional de uma empresa.

E como qualquer indicador, você não deve usar o EBITDA isoladamente.

Ou seja, ele não é suficiente para uma tomada de decisão.

Por exemplo, o EBITDA desconsidera custos de CAPEX como propriedades, maquinário e fábricas.

Porém, o EBITDA ainda assim é uma métrica importante pois mostra o desempenho da empresa antes de deduções de contabilidade.

Ademais, todas as informações relacionadas ao EBITDA se encontram nos relatórios financeiros da empresa.

Por exemplo, lucros, impostos e juros estarão na DRE (Demonstrativo do resultado do exercício).

Já as informações de depreciação e amortização estarão no DFC (Demonstrativo de fluxo de caixa).

Como calcular o EBITDA

Para calcular o EBITDA você deve levar em conta os juros, os impostos, depreciação, amortização e o lucro líquido.

Bem, agora você já entendeu o que é EBITDA.

Portanto, agora vou te explicar como calcular o EBITDA de uma empresa.

Primeiramente, você precisa entender os elementos que estão inclusos no cálculo do EBITDA.

Os lucros equivalem a receita onde você desconta as despesas operacionais.

Já os juros são uma despesa não operacional que é demonstrada na DRE.

Essa informação representa os juros sobre a dívida da empresa.

Ademais, a depreciação se refere à perda de valor de ativos (ex: máquinas, etc.) ao longo de sua vida útil.

Por último, temos a amortização, que é o processo de pagamento de um montante devido ao longo do tempo.

Ou seja, para calcular EBITDA, você precisa somar o lucro líquido com os juros, impostos, depreciação e amortização do período.

Ou, de outra forma, você deve somar todos os elementos e deduzir o lucro líquido.

Senso assim, a fórmula do EBITDA é a seguinte:

EBITDA = Lucro líquido + Juros + Impostos + Depreciação + Amortização

Nesse sentido, somar o lucro líquido aos juros e impostos traz o lucro operacional.

Ou seja, podemos simplificar a fórmula do EBITDA da seguinte fórmula:

EBITDA = lucro operacional + depreciação + amortização

Todos esses dados podem ser encontrados nos relatórios financeiros das empresas.

Ademais, empresas de capital aberto tem que divulgar esses resultados trimestralmente.

Entendendo o EBITDA

Agora, chegou o momento de você entender o EBITDA.

Como já falamos, o EBITDA pode ser considerado como o lucro operacional da empresa.

Ou seja, essa métrica mostra a geração de caixa operacional da empresa.

Em outras palavras, o indicador te mostra o quanto a empresa está gerando de dinheiro somente com suas atividades operacionais.

Isso sem levar em consideração os efeitos dos impostos, depreciação e amortização.

Portanto, o EBITDA demonstra a eficiência dos gestores da empresa para a atividade core da empresa.

Porém, como já falamos lá no início, o EBITDA pode ser um pouco ilusório em alguns aspectos.

Isso ocorre pois o que importa é o quanto da geração de lucros virou caixa líquido na empresa.

Ou seja, despesas como depreciação, pagamento de impostos e juros, amortização fazem parte do resultado final da empresa.

Como calcular o Ebitda

Logo, você precisa entender que no fim das contas o que conta é o resultado final, após as deduções.

Nesse sentido, o EBITDA é a geração de caixa potencial, mas não final.

De qualquer forma, não deixa de ser uma excelente métrica de rentabilidade.

Assim como o ROIC, que é outra métrica importante que você precisa conhecer.

A popularidade do EBITDA

Embora a métrica de EBITDA sempre tenha existido, é justo dizer que ela ganhou popularidade nos anos 80.

Nessa época havia uma moda chamada MergerMania.

Basicamente, consistia em empresas e fundirem ou fazerem aquisições para aumentar os lucros por ação.

E muitas dessas compras eram alavancadas.

Esse processo era chamado de “Leveraged Buyouts”.

Portanto, nessas negociações uma empresa comprava outra empresa usando bastante dinheiro emprestado.

Ademais, os ativos da empresa que está sendo comprada são usados como garantia.

Isso claro, era um passaporte para a ilusão.

Naquela época, muitos investidores olhavam para empresas que precisavam ser reestruturadas.

Esses investidores olhavam o EBITDA das empresas para ver se elas conseguiriam pagar os juros dessas negociações.

Estou te explicando isso pois naquela época os banqueiros promoviam o EBITDA.

Ou seja, você usava esse indicador para determinar se uma empresa conseguiria saldar sua dívida no curto prazo.

Portanto, o EBITDA ganhou muita popularidade na década de 1980.

Ele permitia avaliar se uma empresa conseguiria saldar as dúvidas contraídas no momento de uma aquisição alavancada.

Usando o EBITDA

Agora, vamos falar de como você pode usar o EBITDA.

Em primeiro lugar, vale dizer que o uso do EBITDA se espalhou para vários tipos de negócios.

Você pode usar o EBITDA pois ele mostra um resultado mais claro do negócio.

Isso acontece pois ele elimina despesas que podem distorcer o desempenho real da empresa.

Como já te falei, o EBITDA é essencialmente o lucro líquido (ou lucro).

E à esse lucro você vai adicionar juros, impostos, depreciação e amortização.

Você pode usar o EBITDA para analisar e comparar a lucratividade entre empresas e setores.

Isso pois ele elimina os efeitos de financiamento e despesas de capital.

Como usar o EBITDA

Ou seja, você pode considerar o EBITDA como um bom indicador para comparar negócios de um mesmo setor.

As empresas tendem a destacar seu desempenho de EBITDA quando não têm um lucro líquido muito relevante.

Ou até mesmo quando a empresa tem prejuízo.

Ou seja, alguns gestores preferem reforçar o EBITDA pois ele esconde a lucratividade real de um negócio.

Por isso, fique atento para não cair nas armadilhas de contabilidade.

E quando você desenvolver sua estratégia para investir na bolsa de valores, leve em conta as limitações desse tipo de indicador.

Além disso, você precisa entender como as empresas usam depreciação e amortização.

Elas usam esses elementos para despesas com o custo de ativo imobilizado, ou investimentos de capital.

Ou seja, a amortização é geralmente usada para o custo de desenvolvimento de software ou outra propriedade intelectual.

Portanto, é por isso que start-ups de tecnologia apresentam EBITDA como uma métrica primordial.

Desvantagens do indicador EBITDA

Mas nem tudo são flores, e existem algumas desvantagens do EBITDA.

Primeiramente, você precisa saber que o EBITDA não se enquadra nos princípios contábeis geralmente aceitos dos Estados-Unidos (GAAP) como medida de desempenho financeiro.

Ou seja, o EBITDA é considerado como uma métrica “não-GAAP” (non-GAAP).

O EBITDA depende de quem calcula:

Por conta disso, o seu cálculo pode variar de uma empresa para outra. Cada empresa calcula o EBITDA de acordo com seus próprios métodos internos.

Portanto, nesse sentido você estará sempre dependendo da honestidade de quem calculou esse indicador.

E já tivemos grandes escândalos no mercado financeiro de empresas que fraudaram resultados. Mas isso não é motivo de alarme.

Ou seja, você precisa apenas ficar atento.

Nesse sentido, não é incomum as empresas enfatizarem o EBITDA em vez do lucro líquido.

Isso porque ele é mais flexível e pode desviar a atenção de outras áreas problemáticas nos relatórios financeiros.

Porém, vou te dar uma dica valiosa.

Fique atento se uma empresa de repente começa a divulgar o EBITDA com destaque, e se isso não acontecia no passado.

Esse é um ponto importante pois geralmente acontece quando as empresas contraíram muitos empréstimos ou estão enfrentando crescentes custos de capital e desenvolvimento.

Nesse sentido, a gestão começa a usar o EBITDA como métrica de foco para tirar o foco de outras métricas.

O EBIDTDA ignora aspectos importantes:

Outro ponto é que o EBITDA ignora alguns aspectos importantes de finanças da empresa.

O EBITDA não leva em consideração, por exemplo, o capital de giro.

Ou seja, o seu cálculo não considera o caixa necessário para financiar o capital de giro e a reposição de equipamentos antigos.

Outro ponto é que o EBITDA não leva em conta o custo de ativos, pois o indicador considera a rentabilidade de acordo com a receita e as operações.

Porém, você já deve ter entendido que os ativos da empresa não são de graça.

Ademais, usar o EBITDA como uma métrica para fazer o valuation de uma empresa também pode induzir ao erro.

Portanto, ao olhar os múltiplos, sempre considere olhar outros múltiplos também, como por exemplo o preço/lucro.

EBITDA vs EBT e EBIT

EBITDA vs EBT e EBIT, qual é a diferença?

Você pode estar se perguntando se existe uma diferença entre o EBITDA e o EBT ou EBIT.

Afinal, muitas vezes, empresas usam algum dos 3 termos.

E muito disso é por conta de que, como já te expliquei, o EBITDA não é considerada uma medida GAAP (Generally Accepted Accounting Principles).

Portanto, cada empresa faz o cálculo que prefere.

EBIT é a sigla para Earnings Before Interest and Taxas, ou seja, o Lucro Antes dos Juros e Imposto de Renda (LAJIR).

Você pode usar essa métrica para avaliar a performance das operações principais de uma empresa sem os efeitos de imposto e custo de capital.

A fórmula do EBIT é a seguinte: EBIT = lucro líquido + Juros + Impostos

Entenda o EBITDA

Agora, vou te explicar o que é o EBT.

A sigla EBT significa Earnings Before Tax, ou seja, Lucros Antes do Imposto de renda (LAIR).

Com essa métrica você pode ver o quanto a empresa gerou de lucro operacional antes das deduções de imposto.

Como o imposto está fora do controle da empresa (depende do governo), olhar o EBT permite que você veja como está a performance operacional da empresa sem contar uma variável que depende do Estado.

Qual a diferença entre EBITDA e fluxo de caixa operacional?

Existe uma diferença entre o EBITDA e o fluxo de caixa operacional, que reside na definição de cada métrica.

De forma simples, posso te dizer que o fluxo de caixa de operações é uma medida mais precisa de quanto caixa a empresa está gerando.

Isso pois ela adiciona as despesas não-caixa (depreciação e amortização) ao lucro líquido.

Além disso, o fluxo de caixa operacional também inclui as variações no capital de giro que usam ou geram caixa (contas a pagar, contas a receber e inventário).

Onde encontrar informações sobre EBITDA?

Além dos relatórios das empresas, existem sites que fornecem essas informações e dados financeiros.

Hoje em dia existem diversos sites de análise de dados de mercado.

Porém, nada melhor do que uma plataforma completa para você poder acessar todos esses dados importantes.

No Brasil, existem plataformas como o Trademap, Tryd, etc. porém o OpLab é a melhor ferramenta para você gerir sua carteira.

Ou seja, você pode incluir diversas classes de ativos na sua carteira: ações, opções e fundos imobiliários. Você pode ver o seu payoff e cotações em tempo real.

Se você quer uma plataforma para operar opções, comprar ações, ou simplesmente fazer gestão de portfólio, o OpLab é a solução.

No OpLab, além de tudo, você agora tem a seção de rankings e uma tela fundamentalista que permite que você veja as melhores empresas de acordo com diversos tipos de indicadores e métricas.

Clique aqui para testar o OpLab por 30 dias grátis!

Conclusão

Hoje você aprendeu o que é o EBITDA, como calcular e quais informações ele te traz sobre a empresa.

Do artigo de hoje, quero que você leve alguns aprendizados simples.

Primeiro, lembre-se de que EBITDA é uma métrica muito comum para se avaliar a rentabilidade de uma empresa.

Além disso, você pode usar o o EBITDA para comparar empresas através de múltiplos.

Você também pode entender o EBITDA como uma geração de caixa potencial de uma empresa.

Porém, lembre-se de que, assim como qualquer indicador, o EBITDA tem suas limitações.

Ou seja, você pode se enganar ao olhar apenas o EBITDA como uma métrica de valuation.

Nesse sentido, quero sempre te lembrar de nunca olhar apenas um indicador de forma isolada para tomar uma decisão de investimentos.

No OpLab, você tem diversos indicadores sobre todas as empresas listadas na bolsa brasileira.

Clique aqui para testar o OpLab por 30 dias grátis e invista como os grandes gestores!

Espero que você tenha gostado do artigo de hoje.

Até a próxima!

Artigos relacionados

Acompanhe o blog do OpLab e confira tudo sobre mercado de opções, investimentos e finanças pessoais.